sábado, 25 de agosto de 2012

Tricolor despacha o Vasco e empata, temporariamente, com o Atlético-MG na tabela


Numa semana onde se completou 100 anos do profeta tricolor, Nelson Rodrigues, e que, também, o ex-goleiro Félix, tricampeão do mundo com Seleção e vencedor do Brasileiro de 70 com o Flu, veio a falecer, as homenagens para estes dois ícones do Fluminense, em suas respectivas áreas, não ficaram apenas fora de campo. Dentro de campo, o presente em nome desses dois expoentes veio materializado nos dois gols de Thiago Neves: 2 a 1 para o Time de Guerreiros.

Como era esperado, a partida começou muito estudada entre as duas equipes. Enquanto o Fluminense tinha tentava demonstrar mais calma, esperando o adversário para sair nos contra-ataques, o Vasco tentava mais, atacando muito mais com efetividade quase nula. Abel pôs em campo o que tinha de melhor, teoricamente, disponível.

Até os 15 minutos, a equipe de São Januário tomava as rédeas da peleja. Bem postado defensivamente, o Time de Guerreiros conseguia controlar, até certo ponto, as investidas do adversário. Aos 18 minutos, a arbitragem “entra em campo” pela primeira vez: Fred ganha na disputa aérea com Douglas, legalmente, mas Marcelo de Lima Henrique anula o gol do atacante, para variar. Que fase! A jogada parece ter colocados os comandados de Abel no jogo.

Vale destacar um lance onde Gum salvou o Fluminense, aos 24, se atirando numa bola dentro perigosíssima, dentro da área. Ainda tinha muito jogo pela frente. Edinho assustava, marcando mal e saindo de forma lenta. No final da primeira etapa, Juninho e Wagner quase foram as vias de fato, depois de uma troca de xingamentos, mas a turma do “deixa disso” conteve os ânimos dos meias.

O jogo teve outra vida na parte complementar. Tanto o Tricolor como o Cruzmaltino pisaram no acelerador. Aos 6, Nem faz bela jogada pela esquerda, tira o marcador e toca pra Wagner encher o pé: Prass pratica boa defesa. O Vasco respondia em seguida. Mas hoje era um dia especial. Thiago Neves resolveu estrear. Rafael Sobis inicia jogada rápida, toca para Wagner, que cruza na medida para o TN10. O apoiador pegou de primeira, num lindo voleio, marcando um golaço!

Um minuto depois, aos 27 do segundo tempo, Vasco respondeu. Após um cruzamento rasteiro, Gum tentou tirar a bola da área e acabou empurrando a redondinha para dentro do gol de Cavalieri. Aos 38, a arbitragem entrava em campo outra vez, marcando impedimento de forma equivocada. Samuel estaria livre, livre. No fim, Thiago Neves, com uma baita ajuda de Edinho, que empurrou a base da barreira do Vasco, deu números finais, marcando de falta. Para quem não acreditava que um número fizesse tanta diferença, bastou o apoiador sumir com 7 e vestir a 10 novamente para seu futebol reaparecer. Coincidência? Tanto faz. O importante é que vieram os três pontos! Te cuida, Galo!

1 comentários:

joseph burrell disse...

eu gosto muito de seu blog

Postar um comentário