domingo, 24 de outubro de 2010

Fluminense empata com Atlético-PR e volta a ser líder no saldo de gols

Após empatar com o Atlético-PR, sofrendo um gol irregular, o Fluminense, ao final da rodada, pode sorrir. Com o derrota do Cruzeiro para o Atlético-MG, por 4 a 3, o Tricolor voltou à liderança da competição, somando, assim como a Raposa, 54 pontos – mas com um saldo melhor.

E não para por aí. O Santos, de Neymar, quarto lugar na competição, perdeu, em plena Vila Belmiro, de virada, para o lanterna, Grêmio Prudente, por 3 a 2 e estacionou nos 49 pontos. O único resultado “ruim” foi a vitória do Corinthians, sobre o Palmeiras, por 1 a 0, que levou o Timão aos 53 pontos, ocupando a terceira posição da tabela.

Remendado ofensivamente, como de costume, devido ao grande número de lesionados do setor de ataque, o Fluminense foi à Curitiba, no Paraná, enfrentar o Atlético-PR. Tendo a liderança como objetivo, o Tricolor teve de se contentar com um empate em 2 a 2.

Luta. Correria. Encontro de corpos. O duelo entre o Tricolor e o Furacão, na Arena da Baixada, mais parecia um jogo de futebol americano. Numa primeira etapa marcada por divididas duríssima, os comandados de Muricy dominaram, territorialmente, o clube do Paraná. Entretanto, na prática, o lance mais perigoso para o Flu, saiu de uma bola parada: Washington quase surpreendeu o arqueiro atleticano, arrematando, da entrada da área, no canto do goleiro.

Do lado tricolor, Berna passou o primeiro tempo sem sustos. As alas não comprometiam na retaguarda, mas não construíam lances sinuosos no campo de ataque. Carlinhos errava todos os cruzamentos possíveis. Thiaguinho, por sua vez, mostrava certa ansiedade, embora não se escondesse do jogo.

Na etapa final, a briga continuava. A ambição dos paranaenses pela Libertadores e a gana dos tricolores pelo título davam emoção a cada jogada do duelo. O “canaleiro” das Laranjeiras quebrou, finalmente, seu jejum de gols. O problema é que ele resolveu estufar as redes erradas. Gol contra, de cabeça, aos 17. Minutos depois, Marquinho acerta um chute raro, de direita, e empata.

Quando tudo parecia normal, eis que surge um dos maiores fantasmas do Fluminense no Brasileirão: a arbitragem. Após iniciar jogada pela linha de fundo, o lateral-direito do Atlético, Wagner Diniz, recebe em posição de impedimento e marca o segundo gol paranaense. Essa é a enésima coincidência, né Arnaldo?

No fim, o iluminado Tartá, que só foi relacionado porque não tinha mais ninguém para o setor ofensivo, sofreu um pênalti maroto, mas MARCÁVEL. Conca encheu o pé e deu números finais à partida, colocando o Flu, temporariamente, na ponta da tabela da competição. Que venha o Grêmio!

2 comentários:

Cleber Soares disse...

E ai luciano, blz.
Grande jogo heim!!!
eu tinha postado em meu blog um 3 x 3, e passei perto.....
O tricolor volta para o topo, e o campeoanto ganha em emoção.

BLOG DO CLEBER SOARES
www.clebersoares.blogspot.com

spemmig disse...

Olá, galera do Fluzão Eterno!
Vi o comentário deixado no blog do Rio Preto EC. Fui editor do Força Glorinha! até o início deste ano. Mas minha vida mudou muito, deixei Rio Preto já faz tempo e não acompanho mais o glorioso Jacaré.
O FG! ficará no ar para sempre, para quem quiser saber um pouco da história daquele clube veterano.
Mudei de cidade, de estado, mas não de time. Sou são-paulino de coração, desde sempre, e hoje em Uberaba/MG criei o blog São-Paulinos em Minas Gerais (spemmg):
http://spemmg.blogspot.com/
Lá foi criada a seção "adversários não são inimigos", reunindo links de torcedores de outros clubes. O Fluzão Eterno já está lá.
Penso ser possível torcer para times diferentes e manter um contato amistoso e cordial.
Saudações Tricolores.
Clayton Romano
Editor do Blog São-Paulinos em Minas Gerais (spemmg)
Acesse: http://spemmg.blogspot.com

Postar um comentário